Além de ajudar a manter a pelagem bonita e diminuir o “mau” cheiro, o banho muitas vezes funciona como tratamento e manutenção de uma boa saúde para a pele do seu animal!

Dica 1: Sabonete, shampoo e condicionador

O produto usado durante o banho é muito importante e na hora de escolher deve-se levar em consideração a idade do animal, o tipo e a cor de pelagem, se o animal é alérgico ou não. Para filhotes e animais alérgicos recomenda-se produtos hipoalergênicos e neutros. Sabonete de Glicerina é uma boa opção. Para animais de pelagem clara já contamos com produtos clareadores, que mantêm ainda mais branquinha a pelagem do seu pet; para os de cor escura também já é possível encontrar produtos que intensificam o brilho da pelagem escura. O condicionador é recomendado principalmente para cães de pelagem longa, que facilmente embaraçam, além disso, o condicionador tem função hidratante da pelagem.

lembre-se disso: Se o veterinário prescrever algum shampoo de tratamento específico, as recomendações de uso, intervalos entre os banhos e tempo que devem ficar de molho deverão ser seguidos à risca, para um bom resultado.

IMPORTANTE: Nunca utilize sabão na hora do banho, sabão de côco, sabão em pó e similares alteram o ph da pele do animal, causando destruição da fibra capilar, o que confere ao animal um aspecto de pelo fosco, sem brilho e quebradiço, além de contribuir com a quebra da barreira de proteção natural da pele do animal, favorecendo o aparecimento de problemas dermatológicos.

Dica 2: Temperatura da água e local pra banho

O banho deve ser um momento relaxante para o animal e não estressante. Temperaturas muito frias ou muito quentes, além de desconfortáveis para o animal, podem prejudicar a saúde da pele, pois podem provocar liberação de histamina, que leva a coceira e irritação da pele.

O local ideal pra você banhar seu pet vai variar de acordo com o porte do animal. Pets pequenos podem ser colocados em tanques e pias, já os maiores funciona melhor no box do banheiro ou no quintal de casa.

No primeiro banho do animal deve-se tomar alguns cuidados, para não causar algum tipo de trauma ao pet. Uma dica é pegar um pote pequeno e ir molhando o animal aos poucos, espalhando a agua com mão, fazendo carinho no pet, por último deve-se molhar a cabeça. Após esse primeiro contato com a água, pode-se tentar o uso de uma mangueira ou chuveirinho saindo uma quantidade pequena de agua, quando o animal já estiver mais acostumado pode-se abrir chuveiros e duchas.

Espalhar alguns brinquedos no espaço onde vai ser dado o banho e estimular uma brincadeira no local antes de começar o banho também é aconselhável. Esses cuidados transformam o banho em um momento de prazer e brincadeira pra você e seu pet e não uma experiência aterrorizante!

IMPORTANTE: Por medida de segurança, sempre mantenha o local onde está acontecendo o banho fechado ou então mantenha o animal na guia, para evitar fugas. Além disso, tapetes emborrachados dão uma maior estabilidade ao animal, o que o deixa mais à vontade e seguro.

Dica 3: Toalha e secador

Antes de secar com a toalha retire o excesso de água com as mãos. Escolha uma toalha bem fofinha e com boa absorção. Separe a toalha para ser exclusiva do animal, inclusive na hora de lavar, recomenda-se que lave separadamente das coisas da casa.

Evite esfregar a toalha para não quebrar ou embaraçar os fios, o ideal é ir “apertando os pelos” para que a toalha vá absorvendo a água. Na hora de usar o secador também é importante ficar atento à temperatura, nada muito quente ou muito frio. Não deixe o secador muito próximo à pele do animal para evitar o desconforto e queimaduras. Também não se deve manter o secador por muito tempo numa mesma região do animal, vá alternando.

Em dias de sol e calor, pode-se usar a toalha para retirar o excesso de água e deixar o animal secar naturalmente, porém em dias de temperaturas baixas é aconselhável utilizar o secador para não deixar umidade nos pelos, principalmente nos animais de pelagem longa e densa.

Dica 4: Frequência dos Banhos

Cada vez que damos banhos no animal, retiramos a camada de gordura natural que existe, o que deixa a pele mais exposta, por isso excessos de banhos são prejudiciais a saúde da pele e pelo do animal.

De maneira geral, banhos com intervalos de 1 semana não causam problemas ao animal, porém não deve-se utilizar intervalos menores. Cães que não tem cheiro muito forte, ou os de pelagem curta, pode-se aumentar ainda mais este intervalo, para a cada 15 dias, mantendo escovação da pelagem diariamente.

IMPORTANTE: Em casos de doenças de pele pode ser necessário banhos mais frequentes, nesse caso, siga a orientação do veterinário à risca.